Como a Internet das coisas suporta cidades inteligentes

Conselho de Cidades InteligentesImagem: Conselho das Cidades Inteligentes
Compartilhe esta história!
image_pdfimage_print

A tecnocracia e a ditadura científica serão confirmadas à medida que a ascensão das cidades inteligentes e da Internet das Coisas se tornar onipresente: sensores em todos os lugares, coleta e análise maciça de dados, vigilância e rastreamento completos de tudo o que se move. TN Editor

A empresa de analistas globais Gartner previu que por 2020 haverá mais de um bilhão de coisas "20" conectadas à Internet, enviando dados para todo o mundo. Esses dispositivos da Internet das Coisas (IoT) podem ser qualquer coisa, desde tanques de peixes e fidget spinners, a óculos de sol, geladeiras e outros eletrodomésticos. Todos esses dispositivos têm a capacidade de enviar e receber dados entre si, criando uma rede que pode compartilhar informações valiosas.

Quando esses dispositivos são integrados à infraestrutura de nossas vilas e cidades, eles têm o potencial de revolucionar a maneira como vivemos nossas vidas - tornando nossas cidades mais acessíveis, mais seguras e fáceis de navegar. Para os gerentes de frota e operações, em particular, isso representa uma oportunidade muito atraente.

A ascensão das cidades inteligentes

Cidades inteligentes usam dispositivos e sensores conectados à Internet para analisar informações em toda a infraestrutura. Eles podem coletar dados sobre as condições da estrada, o clima e até o fluxo do tráfego. Naturalmente, isso pode fornecer às autoridades locais uma grande quantidade de informações úteis, a fim de ajudá-las a realizar seu trabalho com mais eficiência.

Por exemplo, os sensores de estrada podem detectar se uma área precisa de manutenção com urgência, permitindo que eles julguem quais trabalhos devem ter prioridade sobre os outros. A longo prazo, eles podem até ser capazes de analisar se um determinado cruzamento poderia se beneficiar de um semáforo adicional ou cruzamento de zebra. Outra possibilidade é usar sensores de tráfego para permitir que as autoridades de trânsito personalizem os horários dos semáforos (sim, como em The Italian Job) ou limites de velocidade com base nos dados coletados para permitir jornadas mais suaves para todos os usuários da estrada.

O que está impulsionando a ascensão das cidades inteligentes?

Duas tecnologias principais sustentam o desenvolvimento de cidades inteligentes. O primeiro é o acesso aprimorado à Internet de alta velocidade e redes celulares. O advento do 5G com velocidades de transferência de dados ainda mais rápidas nas redes celulares permitirá que a comunicação entre vários dispositivos diferentes se torne mais eficiente. Isso é importante, pois os dados dos dispositivos conectados só são valiosos se forem recebidos quase instantaneamente.

O segundo é o surgimento de sensores mais acessíveis e simplificados. Não apenas os sensores estão se tornando mais avançados em termos de suas capacidades, como também estão ficando menores. Atualmente, os sensores têm aproximadamente o tamanho de um disco de hóquei ou menor - em breve, podem muito bem ser quase invisíveis ao olho humano, permitindo uma integração mais fácil em nossa infraestrutura. Ao interagir com uma variedade de outros dispositivos de IoT, como carros, telefones celulares e até rastreadores de fitness, eles podem trocar informações sobre o status de redes de estradas ou outras infraestruturas.

Benefícios para frotas

Os benefícios que cidades inteligentes podem trazer para as frotas são enormes. Atualmente, nossa tecnologia já pode monitorar dados dentro de um veículo ou equipamento pesado - velocidade, horas do motor, tempo de inatividade e outros comportamentos do motorista. Mas imagine as possibilidades quando os veículos estão conectados a toda a rede de infraestrutura.

Os sensores que monitoram as condições da estrada e do tempo podem fornecer atualizações em tempo real sobre possíveis perigos - por exemplo, se houver gelo preto em uma estrada específica durante o inverno ou se houver um acidente grave na rota usual. Depois de inserir esses dados nos veículos da frota, a tecnologia poderia sugerir uma alternativa melhor para permanecer seguro e reduzir os tempos de viagem. Por sua vez, isso ajudaria os gerentes de frota com processos de conformidade e mitigação de riscos e, finalmente, se tornaria mais eficiente, além de reduzir custos.

Leia a história completa aqui…

Junte-se à nossa lista de endereços!


avatar
Subscrever
Notificar a