Cientistas brasileiros: mudança climática suprimirá registros olímpicos?

Compartilhe esta história!
image_pdfimage_print
A tecnocracia é um culto da ciência, onde os cientistas são o sacerdócio e ouvem atentamente o 'oráculo' em busca de declarações proféticas. Esses tecnocratas em particular não especificam quantas virgens jovens devem ser sacrificadas no vulcão para mitigar os danos causados ​​pela humanidade. ⁃ Editor TN

Atletas nos Jogos Olímpicos podem ter dificuldades para quebrar recordes mundiais, pois competem com o aumento da temperatura do Brasil causado pelas mudanças climáticas.

Corredores de maratona, nadadores, jogadores de voleibol e até árbitros de futebol sucumbem ao calor extremo e perdem a concentração durante os jogos, em alguns casos arriscando suas vidas à insolação, de acordo com um relatório divulgado segunda-feira pela Observatório do Clima, um grupo da sociedade civil brasileira.

"Por causa do aquecimento, o esporte nunca mais será o mesmo", afirmou o relatório.

O Brasil aqueceu mais rápido que a média global, aquecendo o 1 graus Celsius (1.8 graus Fahrenheit) nos últimos anos do 54, e quatro cidades quebraram novos recordes de calor no 2015, segundo o relatório. Se os países não cumprirem as metas para limitar o aumento da temperatura global para "bem abaixo" dos graus Celsius da 2, as cidades brasileiras da 12 podem ter que limitar o jogo em jogos semelhantes até o final da década, disse o documento.

Calor do Brasil

Embora os jogos ocorram durante o inverno no Brasil, o calor ainda pode prejudicar o desempenho, principalmente na maratona em que os recordes olímpicos só foram quebrados em temperaturas abaixo de 12 graus Celsius. Os corredores têm melhor desempenho entre os graus 8 e 11, bem abaixo do nível esperado para este mês no Brasil, afirmou o relatório.

Nos próximos anos, é provável que os atletas “se cansem mais cedo, mesmo se permanecerem na competição até o fim”, segundo o relatório.

É provável que o calor seja particularmente doloroso para atletas de climas mais frios, diz o tenista brasileiro Fernando Meligeni. Ele considera que os jogadores europeus não estarão acostumados à umidade, o que os fará suar mais do que o normal.

"Acredito que os ingleses e os suecos, por exemplo, desaparecerão", disse Meligeni, segundo o relatório.

Junte-se à nossa lista de endereços!


Subscrever
Receber por
convidado
2 Comentários
mais velho
Os mais novos Mais votados
Comentários em linha
Ver todos os comentários
A5

Cientistas brasileiros: mudança climática suprimirá registros olímpicos?

Resposta: NÃO! Fraude das mudanças climáticas reprimiu cientistas brasileiros!

Bruce

O Drumbeat é implacável.