Letônia: Políticos não tributados são proibidos de votar, pagamento suspenso

Letônia
Compartilhe esta história!
Os tecnocratas estão demonstrando exatamente quem tem a vantagem na Letônia, proibindo parlamentares não vacinados de votar e retendo seus salários. Esta luta pelo poder é vista em todas as nações à medida que as políticas públicas foram arrancadas das mãos dos políticos eleitos para representar o povo. ⁃ Editor TN

Os deputados letões que não foram vacinados ou recuperados do COVID-19 terão os seus salários suspensos e não poderão mais participar nas votações parlamentares.

Os parlamentares aprovaram a medida em votação na sexta-feira, com 62 votos a favor no parlamento de 100 assentos.

“A partir de 15 de novembro, um deputado terá o direito de participar dos trabalhos do Saeima [Parlamento da Letônia] somente se apresentar um certificado COVID-19 interoperável confirmando o fato da vacinação ou doença”, afirma o comunicado da assessoria de imprensa do parlamento estados.

“O pagamento de um salário mensal e indenização será suspenso para um deputado do Saeima que não terá o direito de participar dos trabalhos do parlamento”, acrescenta.

A medida também se aplica aos legisladores do governo local e entrará em vigor quando o país sair de seu último período de bloqueio de um mês.

Desde outubro de 21, todas as lojas não essenciais - bem como os espaços culturais e de lazer - foram encerrados, sendo proibidas as reuniões públicas e permitidas as reuniões privadas apenas entre um agregado familiar. Um toque de recolher noturno das 20:00 h às 05:00 h também está em vigor.

A partir da próxima semana, o país entrará no “modo verde” com regras diferentes para vacinados e não vacinados.

Apenas 53.6% da população de 1.9 milhão da Letônia está totalmente vacinado, muito abaixo da média da UE de 64.9%.

O país é atualmente classificado como de “alta preocupação” pelo Centro Europeu para Prevenção e Controle de Doenças (ECDC).

A agência de saúde pública observou que as taxas de admissão hospitalar e ocupação na Letônia na semana passada estavam entre as mais altas nos 31 países da região da UE / EEE.

O país relatou 236,765 infecções desde o início da pandemia e 3,646 mortes.

Leia a história completa aqui…

Sobre o autor

Patrick Wood
Patrick Wood é um especialista líder e crítico em Desenvolvimento Sustentável, Economia Verde, Agenda 21, Agenda 2030 e Tecnocracia histórica. Ele é o autor de Technocracy Rising: The Trojan Horse of Global Transformation (2015) e co-autor de Trilaterals Over Washington, Volumes I e II (1978-1980) com o falecido Antony C. Sutton.
Subscrever
Receber por
convidado

3 Comentários
mais velho
Os mais novos Mais votados
Comentários em linha
Ver todos os comentários
Timothy Driscoll

Este é um lugar difícil de se estar, porque agora aqueles que se levantariam contra o mandato são silenciados e marginalizados e tornaram ineficazes seus poderes de voto castrados Tenho certeza de que este é o estado de coisas que estão por vir para o resto do mundo Deus nos ajude

vencedor

Três filhos de camponeses de uma cidade de Portugal foram avisados: “A menos que o Santo Padre atenda ao meu pedido, a Rússia espalhará seus erros por todo o mundo”. Pois a jovem Lúcia, a Jacinta e o Francisco tinham a impressão de que a Rússia era uma MULHER e não um PAÍS porque nunca tinham ouvido falar disso! Não pode haver dúvida agora que a inflitração maçônica da hierarquia está completa, e o comunismo global, o erro da Rússia, agora conquistou o mundo. À medida que a rodada para cima dos não-vencidos começa, a perseguição irá de não ser capaz de se mover, de falar, de votar, de... Leia mais »

[...] e no transporte público. ” Letônia: Políticos não-tributados proibidos de votar - Pagamento suspenso: https://www.technocracy.news/latvia-unvaxed-politicians-banned-from-voting-pay-suspended/ “A partir de 15 de novembro, um parlamentar terá o direito de participar dos trabalhos do Saeima [da Letônia [...]