Polícia de São Francisco tem acesso a câmeras de segurança privada em tempo real

San Francisco
Compartilhe esta história!
Cada cidade na América está a apenas uma ordenança da cidade de cooptar todas as câmeras de segurança privadas como o Amazon's Ring e os sistemas de segurança Nest do Google. A regra do tecnocrata é que, se os dados existirem, eles os aceitarão. Da mesma forma, qualquer conselho municipal pode proibir qualquer câmera de vigilância de propriedade da cidade e impedir o uso de câmeras de segurança privadas pela polícia. ⁃ Editor TN

Em uma votação de 7 a 4 na terça-feira, o San Francisco O Conselho de Supervisores concordou em testar o controverso plano do prefeito London Breed de revisar as práticas de vigilância da cidade, que permitirá que a polícia acesse câmeras de segurança privadas em tempo real.

Os supervisores Catherine Stefani, Aaron Peskin, Gordon Mar, Matt Dorsey, Myrna Melgar, Rafael Mandelman e Ahsha Safaí votaram pela aprovação do teste, enquanto Connie Chan, Dean Preston, Hillary Ronen e Shamann Walton votaram contra.

“Eu sei que o processo de pensamento é: 'Apenas confie em nós, apenas confie no departamento de polícia'. Mas a realidade é que as pessoas têm violado as liberdades civis desde que meus ancestrais foram trazidos para cá de um continente completamente diferente”, Walton – o presidente do conselho e representante do Distrito 10 – dito.

Sob a nova política, a polícia pode acessar até 24 horas de vídeo ao vivo de imagens externas de câmeras de vigilância privadas de propriedade de indivíduos ou empresas sem um mandado, desde que o proprietário da câmera permita. A polícia deve atender a um dos três critérios descritos para usar seu novo poder: deve estar respondendo a uma emergência com risco de vida, decidindo como enviar policiais em resposta a um grande evento público ou conduzindo uma investigação criminal aprovada por escrito por um capitão ou oficial de polícia de alto escalão.

O julgamento durará 15 meses. Se os supervisores desejarem estender ou revisar a política, eles devem fazer uma segunda votação.

Breed propôs pela primeira vez uma revisão das práticas de vigilância da cidade no final do ano passado como uma forma de reprimir roubos de varejo, tumultos, saques e tráfico de drogas. O plano inicialmente recebeu críticas de Peskin e outros, incluindo o American Civil Liberties Union e o Ordem dos Advogados de São Francisco, que temia que a política fosse abusada pela polícia. Peskin, juntamente com outros membros do Conselho de Supervisores, apresentou uma proposta concorrente que, junto com o de Raça, teria aparecido na votação primária de 7 de junho.

Em março, no entanto, Breed e Peskin ambos retiraram suas propostas e procurou chegar a um compromisso. Em maio, eles anunciaram um acordo sobre um plano atualizado, que contém novas salvaguardas, incluindo regras de quanto tempo as câmeras podem ser usadas, retenção de dados e requisitos regulares de relatórios.

A nova política é apoiada pela promotora do distrito de San Francisco Brooke Jenkins, que substituiu o ex-procurador da promotoria Chesa Boudin depois que ele foi chamado de volta em uma eleição especial em junho. Pouco depois de Jenkins assumir o cargo, ela escreveu uma carta a Peskin — a presidente do Comitê de Regras do Conselho de Supervisores — informando-o de que apoiaria as novas práticas de vigilância.

Leia a história completa aqui…

Sobre o Editor

Patrick Wood
Patrick Wood é um especialista líder e crítico em Desenvolvimento Sustentável, Economia Verde, Agenda 21, Agenda 2030 e Tecnocracia histórica. Ele é o autor de Technocracy Rising: The Trojan Horse of Global Transformation (2015) e co-autor de Trilaterals Over Washington, Volumes I e II (1978-1980) com o falecido Antony C. Sutton.
Subscrever
Receber por
convidado

7 Comentários
mais velho
Os mais novos Mais votados
Comentários em linha
Ver todos os comentários
Mero mortal

Perda de tempo, você tem que processar e prender criminosos para fazer alguma diferença, não apenas observá-los.

deixei o crime
Em São Francisco
Pessoas altas em uma colina
Ligue para mim
Para estar onde pequenos carros sequestrados
Fique fora dos bares
Os sons de tiro podem encher o ar
Eu não me importo

Last edited 2 months ago by Meremortal
Michael Bloom

Suponho que uma empresa privada que queira permitir essa espionagem deveria poder... No entanto, eles deveriam ser obrigados a exibir um sinal proeminente dizendo que tal câmera foi implantada. E se nenhum sinal desse tipo for implantado, essa filmagem não deve ser usada em um julgamento judicial.

[…] Leia mais: Polícia de São Francisco obtém acesso a câmeras de segurança privada em tempo real […]

[…] Leia mais: Polícia de São Francisco obtém acesso a câmeras de segurança privada em tempo real […]

[…] CONSULTE MAIS INFORMAÇÃO […]

[…] Polícia de São Francisco obtém acesso a câmeras de segurança privada em tempo real […]

[…] Polícia de São Francisco obtém acesso a câmeras de segurança privada em tempo real […]