Dr. Robot: médicos da IA programados para serem o novo normal

Wikimedia Commons
Compartilhe esta história!
image_pdfimage_print
O próximo passo da medicina baseada em evidências é permitir que a IA seja o assistente virtual do diretor e, em seguida, substitua completamente o profissional médico. Se você se recusar a fazer o que a IA diz, será marcado como rebelde. ⁃ Editor TN

Na próxima vez que você ficar doente, seus cuidados poderão envolver uma forma de tecnologia usada pelas pessoas para navegar em viagens ou escolher o aspirador certo online.

A inteligência artificial está se espalhando para os cuidados de saúde, geralmente como software ou programa de computador capaz de aprender com grandes quantidades de dados e fazer previsões para orientar os cuidados ou ajudar os pacientes.

Ele já detecta uma doença ocular ligada ao diabetes e faz outros trabalhos nos bastidores, como ajudar os médicos a interpretar exames de ressonância magnética e outros exames de imagem para algumas formas de câncer.

Agora, partes do sistema de saúde estão começando a usá-lo diretamente com os pacientes. Durante algumas consultas clínicas e de telemedicina, o software com inteligência artificial faz aos pacientes perguntas iniciais sobre os sintomas que os médicos ou enfermeiros normalmente apresentam.

E um programa de IA com uma imagem faladora do filósofo grego Aristóteles está começando a ajudar os estudantes da Universidade do Sul da Califórnia a lidar com o estresse.

Os pesquisadores dizem que esse impulso na medicina está em um estágio inicial, mas esperam que a tecnologia cresça, ajudando as pessoas a se manterem saudáveis, ajudando os médicos nas tarefas e fazendo mais trabalhos nos bastidores. Eles também acham que os pacientes se acostumarão à IA sob seus cuidados, assim como eles se acostumaram a usar a tecnologia quando viajam ou fazem compras.

Mas eles dizem que há limites. Até o software mais avançado ainda precisa dominar partes importantes dos cuidados, como a capacidade do médico de sentir compaixão ou usar o bom senso.

"Nossa missão não é substituir seres humanos, onde apenas seres humanos podem fazer o trabalho", disse Albert Rizzo, professor de pesquisa da Universidade do Sul da Califórnia.

Rizzo e sua equipe estão trabalhando em um programa que usa IA e um personagem de realidade virtual chamado "Ellie", que foi originalmente projetado para determinar se os veteranos que retornam de uma implantação podem precisar de terapia.

Ellie aparece nos monitores dos computadores e conduz uma pessoa pelas perguntas iniciais. Ellie faz contato visual, assente e usa gestos como um terapeuta humano. Até faz uma pausa se a pessoa der uma resposta curta, forçando-a a dizer mais.

"Depois da primeira ou da segunda pergunta, você meio que esquece que é um robô", disse Cheyenne Quilter, cadete de West Point que ajuda a testar o programa.

Ellie não diagnostica nem trata. Em vez disso, os terapeutas humanos usaram gravações de suas sessões para ajudar a determinar o que o paciente pode precisar.

"Isso não significa que a IA está tentando ser sua terapeuta", disse outro pesquisador, Gale Lucas. "Isso é AI tentando prever quem tem mais probabilidade de sofrer."

A equipe que desenvolveu Ellie também montou um novo programa baseado em IA para ajudar os alunos a gerenciar o estresse e manter-se saudável.

O Ask Ari está fazendo sua estréia na USC neste semestre para oferecer aos alunos acesso fácil a conselhos sobre como lidar com a solidão, dormir melhor ou lidar com outras complicações que surgem na vida universitária.

Ari não substitui um terapeuta, mas seus designers dizem que conectará os alunos através de seus telefones ou laptops a uma ajuda confiável sempre que eles precisarem

O pesquisador da USC Jason Lewis não achou que o programa teria muito para ele quando ajudou a testá-lo porque não estava procurando aconselhamento. Mas ele descobriu que Ari abordava muitos tópicos com os quais podia se relacionar, incluindo informações sobre como as mídias sociais afetam as pessoas.

"Todo mundo pensa que está sozinho em seus pensamentos e problemas", disse ele. "Ari definitivamente contraria esse isolamento."

Além de atender às necessidades de saúde mental, a inteligência artificial também atua nas formas mais comuns de medicina.

A empresa de tecnologia AdviNOW Medical e 98point6, que fornece tratamento através de mensagens de texto seguras, usam inteligência artificial para questionar pacientes no início de uma consulta.

O CEO do AdviNOW, James Bates, disse que o programa de IA decide que perguntas devem ser feitas e que informações precisam. Ele passa essas informações e um diagnóstico sugerido a um médico que, em seguida, trata o paciente remotamente através da telemedicina.

Leia a história completa aqui…

Junte-se à nossa lista de endereços!


Subscrever
Receber por
convidado
1 Comentário
mais velho
Os mais novos Mais votados
Comentários em linha
Ver todos os comentários