Moderna descarta 30 milhões de doses de Vaxx porque 'ninguém as quer'

Foto AP / Rogelio V. Solis
Compartilhe esta história!
Como devemos girar essa história? A dura realidade de seu exagero na demanda por “vacinas” os está encarando. A Big Pharma vive em sua própria versão auto-aprovada de Alice no País das Maravilhas, enquanto o resto do mundo lhes diz onde colocar suas injeções. O que é realmente necessário é um segundo julgamento em Nuremberg para tirar esses patifes das ruas. ⁃ Editor TN

Nossos apostadores do Fórum Econômico Mundial (WEF) se reuniram em Davos esta semana para decidir o que é melhor para o planeta e todos nele (especialmente eles mesmos). Mas Stéphane Bancel, CEO da Moderna, ficou triste. Ele ficou desapontado com o fato de a plebe não querer as reverenciadas vacinas COVID-19 de sua empresa.

“É triste dizer, estou no processo de jogar 30 milhões de doses no lixo, porque ninguém as quer”, lamentou Bancel ao participar de um painel de discussão. “Temos um grande problema de demanda.” Na verdade, isso soa como um grande problema de excesso de oferta para mim, mas o que eu sei?

Bancel elaborou os esforços de divulgação que a gigante farmacêutica estava fazendo para “todos os países”, incluindo ir a todas as embaixadas em Washington, DC, para pedir aos governos que distribuíssem o excesso de injeções a seus cidadãos. Mas, infelizmente, ele concluiu, “ninguém quer levá-los”.

“O desafio que temos agora é [uma] situação muito diferente da que tínhamos há dois anos. O problema que tivemos há dois anos é que não havia capacidade de mRNA no mundo. Zero."

“A situação é muito diferente hoje”, explicou Bancel. “A Moderna tem capacidade anual de três bilhões de doses, a Pfizer tem quatro bilhões de doses, são sete bilhões de doses, e os chineses não querem as vacinas com mRNA. Então, se você tirar apenas a população chinesa, você tem mais de uma dose por pessoa e, como acabamos de discutir, o problema em muitos países é que as pessoas não querem vacinas.

Bancel chamou os americanos feios. “Nos Estados Unidos, as pessoas não querem vacinas”, disse ele. “Em todo o mundo, temos muita gente que não quer a vacina”, lamentou Bancel, antes de reiterar que o problema não era um “limite de capacidade”.

Pouco antes dos comentários de Bancel, na abertura da Assembleia Mundial da Saúde anual, o diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus fez sua parte para estimular o entusiasmo global pela polêmica nova vacina de mRNA.

Leia a história completa aqui…

Sobre o autor

Patrick Wood
Patrick Wood é um especialista líder e crítico em Desenvolvimento Sustentável, Economia Verde, Agenda 21, Agenda 2030 e Tecnocracia histórica. Ele é o autor de Technocracy Rising: The Trojan Horse of Global Transformation (2015) e co-autor de Trilaterals Over Washington, Volumes I e II (1978-1980) com o falecido Antony C. Sutton.
Subscrever
Receber por
convidado

5 Comentários
mais velho
Os mais novos Mais votados
Comentários em linha
Ver todos os comentários
Deveres

O problema da demanda é causado por um número suficiente de consumidores descobrindo, não graças ao governo que jurou nos proteger ou à mídia, cujo trabalho é procurar a verdade, que o jab foi uma mentira hedionda. Além de não proteger contra o COVID, a vacina falsa não protege contra a infecção novamente ou a disseminação para outras pessoas. Mas, mais importante, o público está ciente das legiões de pessoas gravemente feridas, acariciando em tenra idade ou morrendo como resultado da poção perigosa. E em vez de proteger cidadãos inocentes e desavisados, a Big Pharma continua a... Leia mais »

[…] Leia mais: Moderna despeja 30 milhões de doses de Vaxx porque 'ninguém as quer' […]

[…] Leia mais: Moderna despeja 30 milhões de doses de Vaxx porque 'ninguém as quer' […]

Elle

A única surpresa aqui é que ele admite isso.

Renascer

boas notícias de uma vez