Expondo a Propaganda: A Vacina da Liberdade, Verdade e Razão

Compartilhe esta história!

Cidadãos pela liberdade de expressão fez um mergulho profundo na propaganda na quinta-feira, 13 de janeiro: O que é, como você pode reconhecê-lo e o que você pode fazer a respeito. Os apresentadores convidados incluíram Patrick Wood, Joshua Philipp do Epoch Times e Alex Newman do The Sentinel Report. Esta apresentação deve ser vista obrigatória para todos os americanos.

O mundo está cheio de propaganda. Como observado abaixo, o objetivo da propaganda é enganar e manipular.

Propaganda na era da COVID Mania

Por Patrick Wood via CFFS

A América está inundada de propaganda prejudicial e perigosa, mas poucas pessoas entendem o que é, como funciona e o que pode ser feito para superá-la. Este artigo examina a natureza, estrutura e intenção da propaganda para que os leitores possam aumentar a conscientização e o discernimento.

Propaganda Definida

De acordo com a The Graduate School of Political Management da George Washington University, “Uma vez que a propaganda e as relações públicas compartilham o objetivo de usar a comunicação de massa para influenciar a percepção do público, pode ser fácil combinar as duas. A propaganda, no entanto, trafica mentiras, desinformação, linguagem inflamatória e outras comunicações negativas para atingir um objetivo relacionado a uma causa, meta ou agenda política. ”

A Britannica afirma esse pensamento ao definir a propaganda como “Disseminação de informações - fatos, argumentos, rumores, meias-verdades ou mentiras - para influenciar a opinião pública.”

O Oxford English Dictionary afirma que é “A disseminação sistemática de informações, esp. de forma tendenciosa ou enganosa, a fim de promover uma causa ou ponto de vista político. ”

A propaganda moderna foi definida por Edward Bernays (1891-1995) no início dos anos 1920. Bernays é considerado o “pai das relações públicas”, mas muitas de suas ideias vieram de seu tio, o psiquiatra Sigmund Freud. Nem eram amigos da sociedade.

De acordo com Bernays, “Aqueles que manipulam este mecanismo invisível da sociedade (propaganda) constituem um governo invisível que é o verdadeiro poder governante do nosso país… somos dominados pelo número relativamente pequeno de pessoas que entendem os processos mentais e padrões sociais das massas. São eles que puxam os fios que controlam a mente do público. ”

A intenção de enganar nunca é certa

Embora os indivíduos possam certamente mentir e enganar por sua própria iniciativa, a propaganda é invariavelmente vista no reino de governos e corporações que usam instrumentos de comunicação de massa para controlar o comportamento.

Para ser claro, toda propaganda manipula intencionalmente e de forma enganosa as emoções para criar uma mudança no comportamento pessoal e de grupo. Além disso, os propagandistas mais eficazes preparam armadilhas e defesas com antecedência para os possíveis críticos.

Notavelmente, a propaganda funciona melhor quando as pessoas não a percebem.

Felizmente, reconhecer a propaganda é simples, uma vez que você entende suas técnicas testadas pelo tempo, as quais foram claramente identificadas e validadas por muitas décadas.

As seguintes técnicas de propaganda padronizadas, reconhecidas e bem documentadas por muitos autores e acadêmicos profissionais, são usadas em várias combinações para alcançar um resultado comportamental desejado.

As técnicas de propaganda

Medo: A emoção mais poderosa, o medo da perda ou do dano físico, abre a mente para aceitar as soluções fornecidas pelo propagandista, que de outra forma não seriam aceitas. A técnica do medo tem sido a base de toda propaganda relacionada à pandemia.

Movimento: Uma afirmação é feita porque todo mundo está fazendo isso, então você também deveria. Isso geralmente é combinado com outras técnicas de propaganda. “Todos estão atirando porque é seguro e eficaz; você deve levá-lo também. ”

Empilhamento de cartas: Essa técnica destaca as informações “boas”, deixando de lado as “ruins”. Em outras palavras, apenas os fatos que sustentam a agenda do propagandista são apresentados, enquanto todo o resto é intencionalmente suprimido. A censura é galopante na mídia, mídia social e motores de busca.

Gente comum: O propagandista sugere que ele é apenas uma pessoa comum como você, com os mesmos sonhos e desejos e, portanto, você deve acreditar nele.

O Testemunho: Usar uma pessoa não relacionada, como uma celebridade, para dar testemunho de que a propaganda é verdadeira e que você pode confiar nela para isso. Eles também podem aparecer como “pessoas comuns” descritas acima.

Generalizações cintilantes: Declarações abrangentes que não podem ser definidas, muitas vezes contendo vagas “palavras virtuosas”. Por exemplo, “Este programa criará equidade para todos” e “Criaremos milhões de empregos verdes com este orçamento”.

Chamada de nome / desvio: Ataques ad hominem desviam a atenção do propagandista para outra pessoa. Al Gore disse certa vez sobre o aquecimento global: “Os negadores mereciam ser punidos”. Hoje, afirma-se que a América tem uma “pandemia de não vacinados”.

Transferência: Essa técnica carrega autoridade, prestígio ou aceitação de outro grupo ou organização, transferindo essas características para o programa do propagandista. Muitas igrejas, por exemplo, têm sido usadas para promover a aceitação de propaganda pandêmica por suas congregações.

Analogia falsa: Dois conceitos estão falsamente ligados entre si, sem qualquer causa e efeito. Por exemplo, “Pessoas que questionam vacinas são antivaxxers; Maria não quer a vacina, então ela é uma antivaxxer. ”

Ou / ou falácia: Com o pensamento “preto e branco”, apenas duas opções são fornecidas, embora possa haver outras opções aceitáveis. Isso polariza a questão e o força a aceitar o resultado desejado. Por exemplo, “Você é a favor ou contra a ciência”.

Causa e efeito defeituoso: Essa técnica sugere que, como A segue B, A deve causar B. Por exemplo, Joe apóia a posse de armas; os assassinos costumam usar armas para matar pessoas; portanto, Joe é um assassino.

Eufemismos: É o uso de uma palavra ou frase que finge comunicar, mas não comunica. Freqüentemente, faz com que o ruim pareça bom ou o desagradável pareça atraente. Por exemplo, “Você não é pobre, você está em desvantagem econômica”.

Palavras carregadas: Relacionado ao xingamento, o propagandista usará palavras extremas para descrever circunstâncias comuns. Por exemplo, os pais que protestam nas reuniões do conselho escolar são agora rotulados como “terroristas domésticos” que cometem “crimes de ódio”.

Bode expiatório: Essa técnica usa a culpa por associação para atribuir a culpa a uma pessoa não aparentada, por exemplo, os problemas econômicos causados ​​pela administração atual são atribuídas à administração anterior; a pandemia em curso é causada por pessoas não vacinadas.

Desconexão lógica: O Fórum Econômico Mundial declara: “Você não terá nada e será feliz”. Isso diz que a felicidade é o resultado de não possuir nada, mas isso é totalmente ilógico pela experiência. Um corolário para isso pode muito bem ser "Pessoas sem-teto não possuem nada, portanto, devem ser felizes."

O que você pode fazer sobre isso

Todas essas técnicas visam nossas emoções, que por sua vez direcionam nosso comportamento. Sem nosso “apoio” emocional e obediência, os esforços do propagandista simplesmente caem silenciosamente no chão e morrem.

Claro, o cidadão inteligente não quer que ninguém manipule suas emoções para objetivos que não são seus. Na verdade, ninguém quer ser enganado, enganado, enganado, enganado, usado ou manipulado por outra pessoa.

Existem dois antídotos muito claros para impedir que a propaganda esteja morta em seu caminho.

Primeiro, a propaganda deve ser objetivamente identificada e vista pelo que é. Com as técnicas listadas acima, isso é muito fácil de fazer.

Em segundo lugar, considerando o que você vê, você deve exercer autocontrole sobre suas emoções. A propaganda sempre exige seu envolvimento emocional para atingir seus fins. Não caia na armadilha do propagandista.

Por último, quando você finalmente clama vitória sobre qualquer elemento de propaganda - ou seja, você o identificou e recusou o envolvimento emocional com ele -, é importante compartilhar sua compreensão e experiência com outras pessoas.

Conclusão

Mantenha essas informações à mão sempre que estiver ouvindo, vendo ou lendo as notícias. Analise cada artigo por seu “quociente de propaganda”. Se você notar que uma técnica está sendo usada, tome-a como uma pista e procure outras.

Se um número suficiente de americanos entendesse esses marcadores simples de propaganda, comprometendo-se a detê-los em suas trilhas, então a vida na América poderia melhorar rapidamente.

Lembre-se sempre de que os propagandistas têm interesse próprio, não se importando com você ou com o público em geral. Para superá-lo, não é necessário saber por completo o motivo pelo qual ele está sendo jogado em primeiro lugar; o mero fato de ser propaganda diz que você não quer ter nada a ver com isso.

Propaganda é liberdade de expressão?

Ao longo da história, debates robustos e muitas vezes intensos foram mantidos entre indivíduos de opiniões diferentes. Você encontrará uma abundância de tais conflitos durante o período de fundação da América. Houve argumentos verbais, bem como publicações que publicaram idéias e opiniões divergentes. Em alguns casos, isso produziu um pouco de raiva e amargura.

Mas estava tudo de acordo com a “liberdade de expressão”?

A resposta é encontrada examinando a intenção e a qualidade da troca de idéias. Uma falta foi marcada se uma das partes mentiu intencionalmente ou se a evidência chave foi intencionalmente retida para enganar as outras partes.

Em outras palavras, o engano não era tolerado. Por um lado, aqueles que enganam e mentem com malícia e premeditação têm o direito de verbalizar tais coisas, mas também devem arcar com a consequência de violar a lei ao fazê-lo.

Calúnia, por exemplo, é o ato de prejudicar a reputação de uma pessoa contando a uma ou mais pessoas algo que não é verdade sobre essa pessoa. Difamação ocorre quando uma pessoa inventa ou altera uma declaração de outra, com a intenção de difamar ou prejudicar a reputação ou o sustento da pessoa.

Bunko é um crime que rouba o privilégio ou as posses de uma pessoa por meio de mentira e deturpação.

Merriam-Webster define fraude como um ato de enganar e “Perversão intencional da verdade para induzir outro a se desfazer de algo de valor ou a renunciar a um direito legal”.

O dicionário Merriam-Webster também define propaganda como “A divulgação de ideias, informações ou boatos com o propósito de ajudar ou prejudicar uma instituição, uma causa ou uma pessoa"E “Idéias, fatos ou alegações se espalham deliberadamente para promover a causa de alguém ou para prejudicar uma causa contrária”.

Georgetown University Law Center resume no Lei do engano, “Muitas leis tratam do engano. Exemplos familiares incluem: atos ilícitos de engano, calúnia e difamação; o crime de roubo por falsos pretextos e estatutos federais de fraude e correio eletrônico; a Lei da Comissão de Comércio Federal, a Lei Lanham e leis sobre atos e práticas injustas e enganosas; leis que proíbem fraudes com títulos e exigem divulgações do emissor; a defesa contratual de falsas declarações; e a lei do perjúrio. ”

Tudo isso quer dizer que, embora a liberdade de expressão forneça uma grande latitude de expressão, ela é sempre limitada por limites legais e éticos.

que mentir e enganar é liberdade de expressão? Não nunca!

Quando os propagandistas se escondem atrás do argumento da liberdade de expressão, eles o estão usando como uma técnica de propaganda para enganá-lo ainda mais.

Referências

Bernays, Eduardo. Propaganda. Liveright, 1938.

Doeden, Matt. O que é Propaganda? Publicações Lerner, 2019.

Ellul, Jacques. Propaganda: a formação das atitudes dos homens. Knopf, 1962.

Hamilton, John Maxwell. Manipulando as massas: Woodrow Wilson e o nascimento da propaganda americana. Imprensa LSU, 2020.

Lee, Alfred McClung e Elizabeth Briant. Belas Artes da Propaganda. Sociedade Internacional de Semântica Geral, 1979.

Gleicher, Millard. A manipulação da mente americana. Kindle, 2021.

Knowles, Michael. Sem palavras: palavras controladoras, mente controladoras. Publicação Blackstone, 2021.

Neuharth Ph.D., Dan. 12 Técnicas clássicas de propaganda que os narcisistas usam para manipular você, PsychCentral, 2017.

Welch, David. Propaganda: Poder e Persuasão. Biblioteca Britânica, 2013.

O que é Análise de Propaganda?www.PropagandaCritic.com.

Reconhecendo a Propaganda na Políticawww.LegislativeProcedure.com.

“Técnicas de propaganda,” Holt Literature & Language Arts, Introductory Course, 2003, pp. 643-645

“Técnicas de Propaganda”, Biblioteca do College of DuPage,  https://codlrc.org/evaluating/propaganda.

“Propaganda Techniques To Recognize”, da University of Vermont, https://www.uvm.edu/~jleonard/AGRI183/propoaganda.html

“A arte da propaganda: quando jornalistas usam fatos para criar ficção”, Peter Isackson, observador justo, 2021

Sobre o autor

Patrick Wood
Patrick Wood é um especialista líder e crítico em Desenvolvimento Sustentável, Economia Verde, Agenda 21, Agenda 2030 e Tecnocracia histórica. Ele é o autor de Technocracy Rising: The Trojan Horse of Global Transformation (2015) e co-autor de Trilaterals Over Washington, Volumes I e II (1978-1980) com o falecido Antony C. Sutton.
Subscrever
Receber por
convidado
6 Comentários
mais velho
Os mais novos Mais votados
Comentários em linha
Ver todos os comentários
Lutero

A propaganda é muitas coisas, mas não substitui a verdade, e parece que a verdade é a primeira vítima da guerra e dos 'estados de emergência' proclamados. Ao ler e ver isso, espero que muitos tenham uma visão diferente do que é propaganda e do dano que ela causa, em geral.

[…] >PROPAGANDA – O QUE É E COMO RECONHECÊ-LO – Mantenha essas informações à mão sempre que estiver ouvindo, vendo ou lendo notícias principalmente sobre vacinas, fraldas faciais e isolamento. Descubra como analisar cada artigo, podcast ou vídeo pelo seu “quociente de propaganda”. Se você perceber que uma técnica está sendo usada, tome-a como uma pista e procure outras. Se um número suficiente de nós, Amantes da Liberdade, compreendesse esses simples marcadores de propaganda, comprometendo-se a pará-la em seu caminho, então a vida nos EUA poderia melhorar rapidamente. Lembre-se sempre, os propagandistas são egoístas, não se importando com nada... Leia mais »

vencedor

Algumas pessoas provavelmente morrerão acreditando na propaganda da mídia manca. Todas as suas vidas e meios de subsistência dependem desse sistema e não há incentivo para pensar de forma independente ou contra-narrativa e de fato há penalidades, bastante graves como estamos vendo agora neste mundo, que os governantes aplicarão contra sua oposição (real ou imaginado como no caso de Djokovic, o prisioneiro político). Eu simplesmente não consigo assistir nada da BBC ou Good Morning Britain. Eu sei que a TalkRadio é uma oposição controlada, embora eu concorde com a Sky News de Rupert Mudoch na Austrália e a Fox News... Leia mais »

[…] Expondo a Propaganda: A Vacina da Liberdade, Verdade e Razão […]

[…] Expondo a Propaganda: A Vacina da Liberdade, Verdade e Razão Postado em 20 de janeiro de 2022 de janeiro de 20 por adminpropaganda […]