Esquema de proteção de testemunhas para denunciantes que expõem 'grandes erros' de grandes empresas

Youtube
Compartilhe esta história!
image_pdfimage_print
Como diz o velho ditado, “Necessidade é a mãe da invenção” e, nesse caso, a necessidade de denunciar os denunciantes da Big Tech gerou uma organização de apoio que ajudará com taxas legais e de suporte. Será interessante ver se alguém de dentro da empresa realmente se denuncia. ⁃ Editor TN

Aos denunciantes está sendo oferecido um "esquema de proteção a testemunhas" para expor "irregularidades" no setor de tecnologia. Uma organização americana sem fins lucrativos fundada por um empresário e filantropo francês disse que fornecerá indivíduos que trabalham com apoio financeiro e jurídico de "big data" se puderem fornecer informações que mostrem como o público está sendo "prejudicado", explorado ou enganado ”.

A Rede de Sinais, criada no ano passado, está trabalhando com um consórcio de jornalistas em todo o mundo e tem como objetivo prestar assistência a potenciais denunciantes para garantir que empresas poderosas pode ser investigado.

Jornais e sites na América e na Europa, incluindo o The Telegraph, emitiram um "pedido de informações" para as pessoas que trabalham em "big data", capazes de mostrar como o público está sendo enganado ou que as informações fornecidas estão sendo usadas de maneira inadequada.

Outras organizações envolvidas no projeto incluem o Mediapart, criado pelo ex-editor do Le Monde, Die Viet na Alemanha, o Intercept e o WikiTribune.

Os repórteres trabalharão juntos para examinar as informações fornecidas e um comitê decidirá se as fontes em potencial forneceram informações suficientemente fortes para justificar o apoio da organização.

Nos últimos anos, surgiram preocupações sobre o papel das empresas de tecnologia e como o “big data” pode estar sendo mal utilizado pelas empresas.

O acadêmico supostamente passou os dados para uma empresa chamada Cambridge Analytica, violando as regras do Facebook e sem que a empresa soubesse.

Também surgiu que a Cambridge Analytica coletou dados de milhões de americanos da 50 sem sua permissão e falhou em garantir que os dados fossem excluídos - supostamente usado para desenvolver um algoritmo usado nas eleições presidenciais dos EUA para atingir os eleitores da campanha de Trump.

A controvérsia levou a que mais de US $ 36 bilhões (£ 26 bilhões) fossem varridos do valor do Facebook, quando os investidores reagiram às revelações. A empresa negou que os dados disponíveis para o Cambridge Analytica constituíssem uma violação de dados e qualquer irregularidade.

No início deste mês, especialistas disseram que as empresas de mídia social e jogos on-line deveriam ter um "dever de cuidar" para proteger as crianças de problemas de saúde mental, abuso e comportamento viciante, em meio a preocupações de que as empresas de mídia social estão mirando cinicamente crianças usando “ganchos” viciantes.

Leia a história completa aqui…

Junte-se à nossa lista de endereços!


Subscrever
Receber por
convidado
0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários