Especialistas alertam para a aquisição de tecnologia, já que robôs com Ai assumem o controle

Compartilhe esta história!
image_pdfimage_print
Quando o desemprego é criado por robôs, a Renda Básica Universal substitui os salários e oferece um osso aos 'desempregados'. Esse é o risco de escravidão mais profundamente. ⁃ Editor TN

Milhares de nós desembrulhamos dispositivos eletrônicos ativados por voz no dia de Natal.

O serviço Alexa da Amazon, o Home Pod da Apple e os alto-falantes do Google em casa estavam entre os mais vendidos.

Reconhecendo a voz humana, os aparelhos podem tocar música, pesquisar na web, fazer compras online, verificar o tempo e até acender as luzes ou controlar o aquecimento central.

Mas enquanto estamos nos familiarizando com nossos novos eletrônicos interativos, um relatório na semana passada soou um alarme sobre as implicações da melhoria rápida da inteligência artificial.

O estudo, do Instituto de Pesquisa de Políticas Públicas (IPPR), adverte que milhares de empregos são perdidos para robôs - sendo que aqueles com salários mais baixos são os mais atingidos.

Cerca de 44% dos empregos que representam cerca de £ 290 milhões em salários correm o risco de serem automatizados nas próximas décadas - principalmente em setores com baixos salários, como call centers, escritórios e fábricas.

Mathew Lawrence, pesquisador sênior do IPPR, disse: “Se mal administrados, os benefícios da automação podem ser concentrados por pouco, beneficiando aqueles que possuem capital. A desigualdade espiralaria.

Agora, o think tank está pedindo aos governos que examinem maneiras de espalhar os benefícios da automação por toda a sociedade.

O pesquisador do IPPR, Carys Roberts, disse: "Para evitar o aumento da desigualdade, o governo deve procurar maneiras de espalhar a propriedade do capital e garantir que todos se beneficiem do aumento da automação".

O Unite, o maior sindicato da Grã-Bretanha, disse que lidar com os avanços da tecnologia não é novidade para os trabalhadores do setor manufatureiro em particular - mas enfatizou que o governo precisa investir na reciclagem de pessoas à medida que a automação aumenta.

Eles disseram: "Já vimos em revoluções industriais anteriores, como o aço e outras indústrias pesadas, que comunidades inteiras podem ser deixadas para trás por novas tecnologias e isso não pode acontecer novamente".

O executivo-chefe da Scottish Engineering, Bryan Buchan, tem uma visão muito mais positiva do que os robôs trarão para o local de trabalho.

Ele disse: “A evidência é que a automação não custa empregos, mas muda de emprego. Essas coisas são bastante avançadas em termos de robótica e não precisam de guardas ao seu redor para que os humanos possam trabalhar ao lado deles.

“Eles estão usando 'cobots' nas linhas de montagem do Mini agora em Oxford. Fundamentalmente, o 'cobot' faz os horríveis e repetitivos trabalhos que os humanos não gostam de fazer. ”

Leia a história completa aqui…

Junte-se à nossa lista de endereços!


avatar
Subscrever
Notificar a