Chefe da ONU lança primeiro relatório para acompanhar os objetivos de desenvolvimento sustentável

O Sr. Ban Ki-moon, Secretário Geral das Nações Unidas, discursa na câmara. Segmento Ministerial do Fórum Político de Alto Nível sobre Objetivos de Desenvolvimento Sustentável Tema no 2016: Garantir que ninguém seja deixado para trás. (Foto da ONU / Elias manual)
Compartilhe esta história!
image_pdfimage_print

A tecnocracia exige monitoramento para controlar e, como em qualquer bom projeto, o progresso deve ser claramente representado para que todos saibam como o tecnocrata processado está funcionando. A ONU não é exceção, uma vez que o Desenvolvimento Sustentável nada mais é do que uma questão de tecnocracia dos 1930s. TN Editor

Lançamento do primeiro relatório dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da nova agenda global de desenvolvimento adotado no ano passado, Secretário geral Ban Ki-moon disse hoje que o compromisso do ano 15 está "começando bem", mas exigirá que todas as partes da família da ONU e seus parceiros trabalhem juntos.

"Nós embarcamos em uma jornada monumental e histórica", disse o Secretário-Geral ao Fórum Político de Alto Nível sobre Desenvolvimento Sustentável (HLPF) da ONU, que foi aberto no 11 em julho e termina no 20 em julho, na sede da ONU em Nova York.

"Todos devemos aprender, nos governos nacionais, nas autoridades locais, nos negócios e na sociedade civil, e também nas Nações Unidas, a pensar de maneira diferente", disse ele, também enfatizando a necessidade de quebrar silos, não apenas entre os econômicos, aspectos sociais e ambientais do desenvolvimento, mas também entre instituições governamentais, entre diferentes níveis de governo e entre os setores público e privado.

O Fórum é a plataforma central da ONU para o acompanhamento e revisão das Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e a Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), adotado em setembro passado pelos Estados-Membros da 193.

Com seu discurso, o Sr. Ban lançou o primeiro relatório dos ODS, que servirá de referência para o período de implementação do ano 15 da Agenda 2030.

"Ele fornece uma avaliação precisa da posição do mundo nos Objetivos 17, usando dados atualmente disponíveis para destacar as lacunas e desafios mais significativos", afirmou ele.

"Estamos começando bem", acrescentou, pedindo à comunidade internacional que "prometa nunca descansar até alcançarmos um mundo de paz, dignidade e oportunidade para todos".

Os dados mais recentes mostram que cerca de uma em cada oito pessoas ainda vive em extrema pobreza e quase 800 milhões de pessoas sofrem de fome, disse a principal autoridade da ONU. O nascimento de quase um quarto das crianças abaixo do 5 não foi registrado, e o bilhão de pessoas 1.1 está vivendo sem eletricidade, e a escassez de água afeta mais de um bilhão de pessoas.

Os dados também ressaltam o imperativo de uma ação direcionada em apoio aos mais distantes, disse ele, enfatizando a importância de dados e indicadores em todos os grupos, especialmente aqueles que geralmente não são contabilizados.

"Os ODS enfrentam os desafios críticos do nosso tempo", disse ele, incluindo ações imediatas sobre as mudanças climáticas.

O chefe da ONU disse que convocará um evento no 21 em setembro para os países depositarem seus instrumentos de ratificação no Acordo de Paris sobre mudança climática, um acordo que foi adotado em dezembro do ano passado e entrará em vigor quando os países da 55 ratificarem, e a 55 por cento das emissões globais de gases de efeito estufa são contabilizadas.

Em abril, os países 178 assinaram o Acordo de Paris na sede da ONU e os países 19 já ratificaram. Mas esses países da 19 foram responsáveis ​​por menos de 1 por cento das emissões de gases do efeito estufa.

O Sr. Ban incentivou pelo menos os países 40 que se comprometeram a ratificar este Acordo de Paris antes do final deste ano, incluindo Estados Unidos, China, Austrália, Indonésia, México e Argentina.

Ele observou que uma característica essencial do Fórum deste ano são as revisões nacionais voluntárias, um mecanismo que permite aos governos apresentar voluntariamente o que eles e suas sociedades estão fazendo para implementar a Agenda 2030. Este ano, os países da 22 compartilharão suas experiências.

“Garantir que o progresso na consecução dos ODS será bastante aprimorado, garantindo que as lições sejam compartilhadas e as melhores práticas sejam replicadas”, explicou ele, exortando os Estados Membros a intensificarem os esforços de acompanhamento e revisão por meio de um processo participativo, com o envolvimento total do setor empresarial e da sociedade civil.

Thomas Gass, secretário-geral adjunto das Nações Unidas para Coordenação de Políticas e Assuntos Interinstitucionais e Francesca Perucci, chefe da Divisão de Serviços Estatísticos do Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais da ONU, informarão os repórteres sobre o relatório amanhã de manhã em Nova York.

Ainda hoje, Ban se encontrou com Erna Solberg, a primeira-ministra da Noruega. Eles discutiram questões relacionadas ao Fórum Político de Alto Nível sobre Desenvolvimento Sustentável, bem como mudanças climáticas e movimentos derefugiados e migrantes.

À margem do Fórum Político de Alto Nível, o Sr. Ban também se encontrou com Lubomir Zaoralek, Ministro das Relações Exteriores da República Tcheca, a quem destacou a importância da apropriação nacional da Agenda 2030. Os dois líderes também discutiram a situação dos refugiados e migrantes, o conflito na Síria, impedindo o extremismo violento e as mudanças climáticas.

Leia o comunicado de imprensa completo aqui…

Junte-se à nossa lista de endereços!


Subscrever
Receber por
convidado
0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários